A falácia de ataque ao caráter

"Quem é você para...?"

A falácia de ataque ao caráter, conhecida em latim como argumentum ad hominem e argumentum ad personam, é uma das mais utilizadas em narrativas e principalmente em debates políticos. O principal objetivo dela é atacar a pessoa (o interlocutor) de um debate, de uma discussão ao invés de refutar os argumentos para as premissas.

Veja que as premissas colocadas em pauta podem ser verdadeiras e provadas com fatos, sendo assim, o objetivo de quem utiliza essa falácia é desviar o foco afim de questionar o caráter do interlocutor. Veja um exemplo:

“Quem é você para falar sobre ser vegetariano? Sendo que em 2001 você comia carne”. 

Tudo que envolve comunicação é necessário considerar o contexto. Se o que está em pauta é o caráter do interlocutor, é válido incluir na argumentação suas falhas, bem como questionar a credibilidade de quem expõe um argumento. Agora se o contexto da discussão for relacionado a prática vegetariana em si, o caráter do interlocutor não tem relação com o ponto central da discussão.

Como contra-argumentar?

Na frase: “quem é você para falar sobre ser vegetariano”, veja que ser vegetariano é o fato atual e o argumento se baseia em uma ação do passado, sendo assim, o ataque ao caráter é evidente visto que quem ataca se baseia em um fato do passado para descredibilizar o receptor da mensagem. 

 

Para contra-argumentar basta basear-se nos fatos: “Sim, em 2001 eu comia carne e a partir de 2015 passei a ser vegetariano, você consegue perceber a diferença entre estes dois fatos versus o espaço de tempo em que ocorreram?”

Parece simples, mas nos apegamos a fatos do passado que podem trazer uma certa dúvida de nossas ações atualmente, mas lembre-se que as pessoas mudam, incluindo hábitos, crenças e comportamentos. Agora se no debate está em questão o caráter da pessoa, então não caracteriza como falácia apontar suas falhas.

Com isso, lembre-se de se basear em fatos!